| Seja bem-vindo! Hoje é
 
 
Acompanhe o santo do dia
Fonte: Católico.org
 
 
 
Home
Pároco
Atendimento na Paróquia
Estudos litúrgicos
Curiosidades
Catedral Sto Antônio
Pastorais
Regiões Pastorais
Padroeiro
Orientações Pastorais
Orações
Estudos e Reflexões
Espaço Litúrgico
Mensagens
Folheto Litúrgico
Contato
 
. : Catedral Santo Antônio :.
mística ‘no' corpo

Ione Buyst

Quando se fala em ‘mística', muita gente imagina algo bem ‘espiritual', etéreo, celestial, algo ‘fora do corpo', que não tem nada a ver com nossa sensibilidade. São Paulo, para se referir a um encontro místico dele com Deus, diz que não sabe se isso aconteceu ‘no corpo' ou ‘fora do corpo' (2Cor 12,2). Hoje, as neurociências nos ensinam que toda a percepção humana, todas as nossas experiências, todo o nosso conhecimento – do mais elementar ao mais sofisticado, do mais sensorial ao mais racional, dos relacionamentos afetivos às pesquisas científicas... – passam necessariamente pelo corpo. Aliás, não há mais como considerar separado nosso ‘corpo físico' de nossa vida psíquica e espiritual. Citando como exemplo a ação do bailarino e de um jogador de futebol, um autor diz a respeito do corpo: ... muito mais que um agregado de matéria, ele é um foco de energias poderosas e ágeis, uma maravilha de equilíbrio sempre rompido e sempre restaurado, uma unidade que se exprime, se comunica e age. Esse aglomerado de células vivas sustenta e nutre funções que, por sua vez, desenvolvem uma vida psíquica pela qual nossa energia viva atinge as regiões da afetividade superior, da inteligência e da vontade, onde desabrocham nossos atos livres; assim se vão aos poucos tecendo nossa vida pessoal e nossa história social.... 2  

Curiosamente, Frei Betto, com o mesmo exemplo do balé, parece dizer o oposto: Uma outra expressão da mística é a arte. Só há verdadeira arte quando se consegue estar ‘fora do corpo' . No balé, os movimentos do corpo são uma forma alada de expressar algo intangível, cujo desenho é pincelado pela música e transcende a seqüência dos gestos da bailarina. Não se dança com a cabeça nem com os membros. Dança-se com a alma, numa entrega de si ao ritmo e à melodia que só vibra com densidade artística quando se está ‘fora do corpo'. 3   Há certamente uma maneira de dançar, comer, cantar, celebrar... que reduz o ‘corpo' à sua dimensão de ‘materialidade', como se fosse uma máquina de andar, comer, relacionar-se... e é a isso que alude certamente Frei Betto. Porém, sendo seres humanos, somos chamados a vivenciar nosso corpo e todo o nosso ser em sua dimensão espiritual. Somos chamados a dançar, escrever, comer e beber, orar e celebrar, não ‘fora do corpo', mas ‘no' corpo, deixando que as energias psíquicas e espirituais (a alma!), brotando do corpo, nos levem a expressar e experienciar o intangível, o invisível, o inominável, a presença escondida, o mistério. ‘Fora do corpo' deixamos de ser gente e arriscamos de desencontrar d'Aquele que se fez ‘corpo', se fez ‘carne', se fez ‘história' para se encontrar conosco e nos fazer entrar no mistério da comunhão. 4  

É nessa lógica da encarnação que se situa o segredo da liturgia, o mistério dos ritos. O que era visível em nosso Redentor, passou para os mistérios 5 , isto é, passou para a ação litúrgica. Na comunidade reunida para celebrar seu memorial, o Cristo vem ao nosso encontro e nos ‘toca', nos atinge, nos mergulha nas águas, nos unge com o Espírito, nos fala, nos oferece o pão e o vinho, nos transforma. Pela mediação simbólica do corpo (templo do Espírito!) nos leva à comunhão mística.

Duas coisas chamam nossa atenção e são absolutamente necessárias para podermos falar de um sacramento cristão: 1) a ação ritual, ou seja, o ‘sinal sensível'; 2) o mistério (invisível) que habita o rito. Quem percebe apenas o sinal sensível, o lado ‘de fora', digamos assim, não vive o sacramento, não tem acesso ao mistério. Também não vive o sacramento quem não presta atenção ao sinal sensível, quem não vive profundamente, na fé, a ação ritual, que nos dá acesso ao mistério.

  1 Continuação de uma série de ‘Grilos' sobre mistério, mística, mistagogia.

  2 POUSSET, Eduard. Corpo e espírito, superar o dua-lismo. Grande Sinal, Petrópolis, (56), 2000/4, jul./ag., pp. 480-490; aqui, p 484).

  3 www.adital.com.br , 24 de novembro de 2006. Título do artigo: ‘Fora do corpo'.

  4 Cf. Jo 1,14-18; 1Jo1,1-4.

  5 Papa Leão Magno (séc. V).



© 2007/2008 Catedral Santo Antônio Chapecó.  Todos os direitos reservados. | créditos |